Introdução

O Projeto de Integração da Pós-Negociação (IPN) é uma iniciativa da BM&FBOVESPA para a criação da câmara de compensação integrada, que consolidará as atividades das quatro "clearings" hoje existentes: ações e renda fixa privada, derivativos, câmbio e ativos. Este processo reúne 15 projetos e exige a introdução de novas tecnologias, conceitos e soluções que irão revolucionar importantes serviços prestados pela Bolsa e ampliar os diferenciais competitivos da companhia no mercado global.

A BM&FBOVESPA é uma Bolsa multiativos e multimercado (mercado listado e balcão), verticalmente integrada, que atua como central depositária de ativos, câmara de compensação e liquidação e contraparte central para oferecer um leque abrangente de produtos e serviços. Desde a fusão entre a Bovespa e a BM&F (2008), a nova bolsa administra quatro câmaras de compensação.  Por razões históricas, elas foram estruturadas e organizadas com foco no tipo de produto e não no tipo de processo, conforme a seguinte figura:

 Organização do Ambiente de Pós-Negociação por Tipo de Produto
Organização do Ambiente de Pós-Negociação por Tipo de Produto

Com o IPN e a criação de uma única Câmara, haverá apenas uma estrutura de participantes, um conjunto de processos operacionais e de regras, uma janela de liquidação e um único sistema de administração de risco e de garantias.

 Câmara Integrada
Câmara Integrada

Poucas Bolsas no mundo adotam o modelo de negócio de estrutura vertical da Bolsa, mais valorizado após a crise de 2008, quando demonstrou sua robustez. Neste cenário, a integração das atividades de pós-negociação significará para a BM&FBOVESPA um grande salto em termos de tecnologia e eficiência, ao proporcionar:

  • Maior eficiência na alocação de capital dos participantes.
  • Adoção de uma administração de risco comum a todos os mercados, que permite:
    • Visão unificada dos riscos de portfólio.
    • Definição de um modelo único de cálculo de margens.
    • Aperfeiçoamento das estruturas de salvaguardas.
    • Integração de diferentes instrumentos financeiros entre as contra parte centrais (CCPs).
  • Harmonização e integração dos modelos, processos, regulamentos e sistemas das quatro clearings.