Visão Geral

A criação de uma estrutura única de compensação e liquidação de operações permite o desenvolvimento de um modelo de administração de risco integrado para a contraparte central (CCP), abrangendo múltiplos mercados e múltiplas classes de ativos. Nesse sentido, o novo modelo de administração de risco busca propiciar:

  • O aumento da robustez dos processos de administração de risco de CCP da BM&FBOVESPA, já reconhecidos pelo alto grau de proteção oferecido; e
  • Ganhos de eficiência na alocação de capital dos participantes.

Documentos CORE

O novo modelo de administração de risco é composto, essencialmente, por cinco componentes: cadeia de responsabilidades, modelo de risco, estrutura de salvaguardas, administração de risco intradiário e administração de garantias, descritos a seguir e detalhados nas próximas seções.

  • Cadeia de Responsabilidades
  • Inter-relações de responsabilidades pela liquidação de operações entre as diversas classes de participantes: clientes, PNs, PLDs e Membros de Compensação.

  • Estrutura de Salvaguardas
  • Organização, dentro de uma lógica de administração de riscos e observando as características da cadeia de responsabilidades, de todos os mecanismos constituídos com a finalidade de mitigar perdas referentes a um ou mais eventos de inadimplemento.

  • Cálculo de Risco - CORE
  • Sistema responsável por quantificar as perdas potenciais na hipótese de inadimplemento de um ou mais participantes e seu impacto sobre a estrutura de salvaguardas. A determinação do risco de carteiras multimercados e multiativos exigiu o desenvolvimento de uma metodologia específica, denominada Closeout Risk Evaluation (CORE).